Artigo – A realidade dos mendigos em Camaçari

 

Resultado de imagem para mendigo esfaqueado em Camaçari

Foto: Reprodução

Há um problema comum recorrente em quase todas as cidades do mundo, oriundo de diversas questões sociais. O ato de sobreviver dependendo da caridade alheia está presente até mesmo na cidade com a maior economia do mundo: Nova York.

 
Camaçari também convive com esse problema chocante que denuncia fragilidade em sua cadeia social. Até o final do ano passado mendigos passaram a ocupar a área externa da antiga estação ferroviária em pleno centro da cidade e de lá só foram retirados depois da ocorrência de um assassinato no local no início do ano.

 
Terrenos baldios e algumas casas abandonadas na cidade têm sido invadidas por mendigos, e isso não se restringe apenas ao centro, mas, vem acontecido também nos bairros.

 
Fatores sociais como desemprego, alcoolismo, dependência de drogas ilícitas e traumas sociais têm levado muitos indivíduos às ruas, geralmente depois de serem rejeitados pelas próprios familiares, os quais, em sua maioria, não têm suporte para lidar com determinadas situações.

 
Recentemente chamou a atenção da imprensa local e das mídias sociais o caso de João, um pedinte de aproximadamente 50 anos de idade, com problemas mentais, que foi esfaqueado no pescoço por uma outra moradora de rua que já havia anteriormente lhe roubado algumas moedas, segundo informações de moradores locais que preferiram não se identificar.

 
Muitas dessas pessoas que hoje vivem ao relento teriam o direito a benefícios sociais, em alguns casos até mesmo a aposentadoria, mas elas necessitam de encaminhamento e orientações que, dificilmente terão vivendo nas ruas.

 
Na ausência de iniciativas privadas ou particulares, está sob a Prefeitura Municipal a incumbência de, através da secretaria de Desenvolvimento Social, promover levantamentos, encaminhamentos e programas de inclusão, afim de tentar ressocializar esses indivíduos.

 

Por: João Rocha

Pin It

Comentários bloqueados.